O futuro está na Construção

Governo aposta no setor para recuperação da economia.

Enquanto uns choram, outros vendem lenço. Essa é uma máxima antiga que mostra que quem enxerga bem, vê oportunidades ao invés de sentar e esperar. Com o mercado imobiliário não é diferente. Já mostramos aqui por diversas vezes que o segmento se reiventa na crise. quando não há lançamentos, trabalha-se com o estoque. Se está difícil de vender, a alternativa é negociar. Se encontrar locatários é complicado, negociam-se valores e prazos. E, assim, o setor segue.

O bom nisso é que não são somente os agentes que atuam no mercado que enxergam as possibilidades. O governo também vê no segmento o que ele sempre foi: uma válvula interessante de progresso e crescimento da economia como um todo.

Agora a aposta pode ser, de novo, o setor de construção civil- e, junto, o mercado imobiliário. Pelo menos essa é a projeção do governo federal. A Presidente Dilma Rousselff e sua equipe apontam que o caminho para a recuperação da economia do País e a retomada do crescimento está, entre outros setores, na construção. Tanto que o novo plano de Aceleração do Crescimento, que deve ser nunciado em breve, escolherá a construção civil como principal foco em razão da capacidade de o setor reagir rápido às crises e, assim, criar empregos. 

A retomada do programa Minha Casa Minha Vida, cujos projetos chegarão à terceira fase, bem como a finalização e entrega de obras já executadas deve ser o caminho. 

A reboque desse investimento públicos, o que é de ser esperar, assim que a situação voltar ao normal, será novo fôlego aos financiamentos habitacionais para a construção e aquisição. Vendem-se lenços!